Beto Barbosa: lambada, porrada e cigarrinho de artista

O gerente de loja Raimundo Roberto Mohry Barbosa tinha 30 anos quando recebeu um convite da gravadora Continental para tentar a sorte na carreira de artista. Beto fora descoberto após uma performance furiosa em um karaokê de Belém, no Pará.

Vinte anos depois, o Trip TV convidou o rei da lambada para reviver o início da sua trajetória como cantor, desta vez num karaokê do bairro da Liberdade, em São Paulo.

Sem fugir da polêmica, o gênio por trás de “Adocica” falou ainda sobre drogas, porradaria, mulheres e o ápice de seu sucesso.

“Aquela foi uma época que ditou moda. A lambada era muito caliente, muito sensual”, relembra.